Margarida Anriques, Dona

NAME | NOME Margarida Anriques, Dona

NAME (OTHER FORMS) | OUTROS NOME(S) Margarida Henriques, Dona

 

Biographical data | Elementos biográficos

DATE OF BIRTH | DATA DE NASCIMENTO  Fifteenth Century | Século XV

DATE OF DEATH | DATA DA MORTE Sixteenth Century | Século XVI

LANGUAGES | IDIOMAS Portuguese | Português

 

Works | Obra

 

PRINTED WORKS | OBRAS IMPRESSAS 

[Porque é tão mau rapaz

Dona Margarida Anriques?]

 

Nam m’ee mais de responder

A isto nem conselhar,

Que se vos visse morrer

Ante mim sem vos poder

Em nada remediar.

Mas pois nam posso escusar,

Nema temais esta donzela,

Que nam é morte matar,

Se é por ela.

 

in.:RESENDE, Garcia de  Cancioneiro Geral de Garcia de Resende, Lisboa, por Hernan de Campos, 1516, fl.

 

BIBLIOGRAPHY | BIBLIOGRAFIA 

 

COSTA, D. António da, A Mulher em Portugal. Obra póstuma publicada em benefício de uma criança,Lisboa, Typographia da Companhia Editora, 1892, p. 49.

 

FLORES, Conceição, Constância Lima Duarte, Zenóbia Collares Moreira, Dicionário de Escritoras Portuguesas. Das origens à actualidade, Ilha de Santa Catarina, Editora Mulheres, 2009, p. 183.

 

FREIRE, Anselmo Braancamp, “Raparigas do Cancioneiro” Crítica e História. Estudos, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1996, p. 25. [1ª edição: Indices do Cancioneiro de Resende e das Obras de Gil Vicente, Lisboa, 1900 (edição de 20 exemplares para oferta)]

 

RESENDE, Garcia de, Cancioneiro Geral de Garcia de Resende, Lisboa, por Hernan de Campos, 1516, fl.

 

SAMARTIN, Roberto Lopez-Iglesias, A dona do tempo antigo. Mulher e campo literário no Renascimento português (1495-1557), Santiago de Compostela, Edicions Laiovento, 2003.